Conselhos para a Felicidade

 

Conselhos para a felicidade de modo simples, eficaz e na prática do seu dia a dia.

Esta semana recebi um texto em uma das minhas redes sociais sobre os 15 conselhos do Papa Francisco para bem viver a quaresma (tempo litúrgico da igreja católica que antecede a páscoa). Acredito que ao escrever cada conselho o papa Francisco estava pensando nas boas práticas cristãs, principalmente em orientar o comportamento de cada fiel dentro do paradigma do evangelho, levando em consideração coisa simples do dia a dia.

O texto me chamou muita atenção, por que embora seja uma “cartilha cristã”, psicólogos e estudiosos do comportamento podem se apropriar dele para fazer um roteiro, uma espécie de passo a passo de como vencer certos “fantasmas” e estados emocionais limitantes.

Se um dia uma criança me perguntasse: professor, como faço para ser feliz? Por motivos óbvios não poderia recorrer a textos filosóficos complexos, primeiro por se tratar de uma criança, segundo porque a própria filosofia tem divergências no conceito de felicidade. Claro que não não poderia recorrer aos textos de Freud, e também por dois motivos: Freud, só para maiores de 18 anos, e não é uma boa ideia dizer a uma criança que ela não é tão livre quanto parece. Poderia recorrer a estórias e contos, mas tenho lá minhas dúvidas se um dia alguém já conseguiu a proeza de infantilizar o um conceito tão complexo assim.

Os conselhos de papa Francisco talvez seja algo de mais espetacular de como devemos conduzir a nossa vida. Com certeza a pergunta dessa criança não teria uma melhor resposta. E mais, serviria também para nós psicólogos que por vezes complexamos o simples, colocamos curvas em retas, e ainda codificamos conceitos para ter a falsa sensação de que só nós somos os detentores do saber da mente humana.

Vamos a eles...

1) Sorrir sempre 

Todos nós sabemos da capacidade de um sorriso. Os problemas são nossos, mas o sorriso é dos outros. Se não tem motivos para sorrir procure um, e ele que vai deixar mais leve seu dia, e ele que vai atrair as pessoas para perto de você (acredite, precisamos de gente perto da gente). Tem correntes da psicologia que acreditam que comportamentos geram sentimentos, portanto sorrir pode enviar informação para o seu cérebro e gerar emoções positivas. 

2) Agradeça (mesmo se não precisar fazê-lo)

Já diria Aristóteles que a gratidão é uma virtude para poucos. A gratidão te deixa mais sensível ao mundo e aos outros. Quando você agradece, você também passa uma mensagem de que o outro é importante, e vocês convivem numa relação de interdependência. A ingratidão gera afastamento e isolamento. Quando se agradece os detalhes, os detalhes tornam-se importantes e as pequenas coisas ganham valor, você começa a perceber que precisa de muito pouco para viver também experimenta o desapego e a partilha. Pontos fundamentais para viver em sociedade.

3) Lembrar os outros que você os ama.

Ao falar para as pessoas dos seus sentimentos a relação ganha transparência e afeto, diminuem os conflitos, o ciúme e a negligência. Cria-se um ambiente de segurança em que a individualidade ganha apoio e segurança sem ser transformada em individualismo. 

4) Cumprimentar com alegria as pessoas que você vê todos os dias.

Item básico da cartilha da boa convivência. Dessa forma você demonstra para o outro que ele é visto e percebido. Diminui a insegurança e frieza. A resposta que você obtém depende da comunicação que você emite. Quer ser bem tratado, trata bem as pessoas.

5) Ouvir a história do outro sem preconceito, com amor.

Tudo na vida tem dois lados e todo comportamento, por trás dele, tem uma intenção positiva. Um ouvido atento a escutar sem julgamento garante transparência e verdade na relação. As relações sólidas são construídas com verdade, mas ela só encontra espaço onde não tem julgamento, preconceito e desrespeito. Pessoas felizes tem relacionamentos sustentáveis e verdadeiros.

6) Para e ajude quando alguém precisar.

Comportamentos como esse geram relações de ajuda mútua. Agindo assim você deixa claro que não está sozinho no mundo, que é um ser social, e para viver em comunidade precisamos ser interdependentes.  O exercício de olhar para o outro nos leva a ver que os problemas podem ser divididos, menos pesado e mais fácil de suportar.

7) Incentivar quem está desanimado.

A palavra tem poder de construir e destruir. Ao incentivar alguém você gera produção que se desencadeia em massa, você ganha, o outro ganha, a comunidade ganha. Uma sociedade motivada é produtiva, tem menos problemas e gera satisfação e prazer.

8) Alegrar-se pelas qualidades ou realizações dos outros.

Algumas pessoas infelizmente acreditam que para ganhar o outro precisa perder. São pessoas ocas, vazias, que para se sentirem bem precisam ver o outro perdendo, como se isso tivesse alguma relação. Pelo contrário, pessoas felizes produzem felicidade na vida dos outros, pessoas derrotadas produzem derrotas na vida dos outros. Quando o outro ganha, você ganha também. O bem que você emana, volta pra você.

9) Juntar as coisas que você não vai mais usar e dar a quem precisa

Pessoas apegas são pesadas demais para caminhar, acumulam coisas desnecessárias, perdem o foco, e tornam-se egoístas. Quem se apega a coisas se apega também a ideias, tornam-se inflexíveis e de difícil convivência, são fechadas as novas ideias e padecem na ignorância.

10) Ajudar quando necessário para que o outro descanse.

Em um mundo sistêmico dar descanso ao outro é conservar quem você ama. O outro é visto, se sente importante e digno, diminuem os conflitos e a negligência. O ambiente fica mais leve, propício para o diálogo e a empatia.

11) Corrigir com amor e não calar por medo.

Um dos passos da evolução e o desenvolvimento e dar sentido ao erro. Todas nós erramos, mas alguns aprendem outro não. De um erro podemos sentir arrependimento e remorso, mas também podemos evoluir em aprendizado. Faça com o erro do outro vire aprendizado e não a dor do remorso.

12) Cuidar com carinho especial dos que estão perto de você.

O isolamento é um sintoma social do nosso século. A felicidade é construída na convivência e não no isolamento. Engana-se quem pensa que é possível ser feliz sozinho. Estar sozinho é muito diferente do que ser sozinho. O primeiro faz parte da construção da independência e individualidade, já o segundo traz prejuízo na saúde emocional, afinal somos seres sociais que precisa do outro para se reconhecer. Quando cuidamos dos outros sustentamos a ideia de que os relacionamentos se constroem no cuidado e respeito mútuo, a convivência ganha sentido e sabor de necessidade.

13) Limpar o que se usa em casa

Muito curioso esse conselho, não? Mas ele é mais simples e necessário do que parece. Para que a engrenagem social funcione bem, todos precisam executar o seu papel. Se um dente da engrenagem quebra, o processo fica descompassado, gerando, portanto, um mau funcionamento da estrutura. Deixe limpo o que usa é o mesmo que dizer: tenha responsabilidade, termine o que comece, não deixe as coisas pela metade. Para meu trabalho ser bem feito, o seu tem que estar também.

14) Ajudar os outros a superar os obstáculos

Um conselho simples, não é? Mais uma vez fica aqui a ideia de um mundo sistêmico, portanto engana-se quem quer ser feliz olhando só para sí. A gratidão e o aprendizado que são gerados por um ato sincero e concreto de ajuda solidifica as relações, geram afeto e por lógica consequência felicidade.

15) Ligar para os pais, falar mais com eles.

Analiso esse conselho de duas formas: a primeira a mais óbvia, honrar os pais além de uma exortação bíblica faz parte de um código de ética universal. Demostrar carinho e afeto àqueles que deram e ensinaram o que você tem e é nada mais é do que uma forma digna de exercer a sua humanidade. A segunda forma, essa menos óbvia, trata-se de uma forma de voltar a sua origem, de se lembrar bem quem você é e de onde veio. Muitos infelizmente conquistam o mundo, mas se esquecem da origem, de quem o construiu. Se a ideia de onde você veio está presente nos seus pensamentos a humildade é exercida, você se abre a aprendizagem e a soberba não toma conta do coração.


Deixe seu Comentário

Receba novidades

Cadastre-se e receba dicas e novidades gratuitamente

Escolha outros assuntos

Veja também