Dez simples motivos do porque não mudamos de comportamento

Adquirir novos comportamentos não é uma tarefa das mais fáceis. Toda mudança requer uma dose de esforço e persistência. É um paradoxo a ideia de que mesmo mudanças que nos podem trazer melhores resultados ganham um nível importante de resistência, e quando menos esperamos aí estamos nós fazendo as mesmas coisas que sempre fizemos e tendo os mesmos resultados que sempre tivemos.

Para entender os motivos pelos quais isso acontece podemos recorrer a várias fontes teóricas, que vão desde a psicanálise à neurociência, no entanto, quero aqui me concentrar em dez simples motivos para você entender porque a mudança é desafiadora.

1)     Em todo comportamento temos algum tipo de ganho, mesmo que secundário. Uma pessoa que fica doente constantemente, muito provavelmente na maioria das vezes por negligência, embora tenha um resultado terrível, completamente desfavorável, pode manter esse comportamento somente para manter também os ganhos secundários que ele traz. Nesse caso, por exemplo, seria receber a atenção e/ou os cuidados que uma pessoa doente geralmente recebe.

A procrastinação que traz resultados terríveis, pode ser mantido simplesmente pelo fato de o procrastinador ganhar um álibi importante pela entrega malfeita. Nesse caso, para não precisar lidar com o fato de não ter feito um bom trabalho, ganha a desculpa que a entrega foi feita de qualquer jeito por falta de tempo, e não por competência.

2)     Tudo que nosso cérebro puder fazer para gastar menos energia ele irá fazer. É a famosa “lei do mínimo esforço”. Se você estiver utilizando um computador para ler esse texto, experimento agora utilizar o mouse com a mão esquerda (se você for destro). Imediatamente você vai se incomodar pela falta de destreza e de um maior tempo para atingir seu objetivo, e com certeza tenderá a voltar a movimentar o mouse com a mão que está mais acostumado. Esse “incomodo” é muito natural porque o seu cérebro precisará de um nível maior de “energia” para criar novos caminhos e novas sinapses para atingir o objetivo. Isso vale para mudança de comportamentos e hábitos e também para novos comportamentos. Lembre-se de quando começou a dirigir, quanta energia gastou para sincronizar movimentos? Depois de várias vezes fazendo as mesmas coisas as sinapses cerebrais foram criadas, o que te da a capacidade de fazer automaticamente. Por esse motivo mudar a maneira de se fazer alguma coisa gera resistência fisiológica.

3)     O que está subjacente em toda mudança é a ideia de que a maneira que alguma coisa é feita está ERRADA, e isso causa, sem sombra de dúvida, o que Freud chamou de uma espécie de “ferida narcísica”, ou seja, uma ferida no ego. Para não lidar com a ideia do erro e do fracasso, simplesmente pessoas não reconhecem a necessidade da mudança. Por isso pessoas narcisistas e orgulhosas são inflexíveis.

 

4)     Algumas mudanças precisam necessariamente de renúncia. Nem sempre as pessoas estão preparadas a desapegar de algo. Para atingir alguns resultados, eu preciso deixar de fazer alguma coisa, deixar pessoas, deixar processos, deixar prazeres e etc. Imagine uma pessoa que está se preparando para uma prova e que não consegue os resultados desejados porque não tem coragem de mudar seus hábitos, que com certeza, terá como consequência falar não para as pessoas, falar não para prazeres em nome de um objetivo. Portanto mudanças são para as pessoas que tem a coragem do desapego.

5)     Todos querem “ir para o céu”, mas ninguém quer morrer! Para garantir alguns resultados é necessário em alguns momentos fazer coisas desagradáveis. Aquele que quer ter o corpo ideal está disposto a falar não para as guloseimas? Está disposto a passar no mínimo uma hora do seu dia fazendo atividade física? Aquele que quer ter uma aposentadoria segura está disposto e ver o dinheiro sobrando na conta e não gastar? Aquele que quer sentar na cadeira do presidente está disposto a aprender novas línguas, ser o primeiro a chegar e o último a sair? Mudança requer fazer coisas que não se tem vontade de fazer!

6)     A teoria psicanalítica tem argumentos o suficiente para afirmar que existem coisas não aparentes que mantém o nosso comportamento. Nesse sentido são as forças inconscientes que determinam o nosso estado, funcionam como uma força propulsora para determinado comportamento. Dessa forma a mudança está associada e analisar que tipo e intensidade de força são essas, canalizando a mesma para outro sentido. Quanto mais as pessoas se conhecem, mas ela está preparada para a mudança.

7)     Algumas emoções básicas do ser humano como o medo e a insegurança (que está associada a primeira) atrapalham e muito à adesão a novos comportamentos. Existe uma programação inclusive genética que nos faz ter medo do novo. Manter os mesmos comportamentos é ter os mesmos resultados, por pior que eles sejam, são previsíveis!

8)     Diante de um resultado ruim, existe a inclinação quase que natural de responsabilizar terceiros. A mudança requer responsabilização e protagonismo. A reponsabilidade é um movimento que requer coragem, porque te coloca em evidencia e alvo de críticas. Responsabilizar outros ou situações causam conforto, e não confronto! Para fugir do confronto não nos responsabilizamos, e mudança fica cada vez mais distante. 

9)     As mudanças precisam de investimento. As vezes não fazemos coisas diferentes porque simplesmente não sabemos o que fazer. Se soubéssemos fazer diferente possivelmente faríamos. Deve existir a consciência da necessidade em Investir em treinamentos, cursos de capacitação, enfim, em conhecimento. Se você conhece várias formas de fazer alguma coisa os bons resultados se tornam mais próximos. Só muda quem tem coragem de investir em conhecimento.

10)  Aristóteles, grande filósofo e importante pensador ocidental, colocou considerável peso em seus trabalhos na construção do homem virtuoso. Segundo Aristóteles, a felicidade está associada a realização das virtudes humanas, e dentre elas, talvez a mais importante é a humildade. Nesse sentido, a humildade tem grande peso no sentimento de felicidade. Talvez seja porque a humildade pode, invariavelmente, te fazer ter mais realizações, juntamente porque sem ela, é impossível corrigir defeitos, refazer caminhos, e nesse sentido o que de fato queremos fica cada vez mais longe. É por fim a humildade que o fará se responsabilizar, olhar para dentro de si, fazer você pedir ajuda, te dar força a aprender mais e vencer o medo. Para ter novos resultados precisamos de mudança, para mudar precisamos ser humildes.


Deixe seu Comentário

Receba novidades

Cadastre-se e receba dicas e novidades gratuitamente

Escolha outros assuntos

Veja também